fale@concuca.com  |  fone 51 3779.5951  |  whats 51 99842.4558  |  Brasil

Todos os direitos reservados  |  Desenvolvido por Artur Barreto Vianna.

Brincar sem brinquedo. Por que não?

As maiores brincadeiras estão dentro da cabeça da criança, ou seja, surgem através da imaginação. Nem sempre é preciso de um brinquedo para poder brincar e se divertir. Na verdade é bom que a criança não brinque somente com brinquedos prontos para que ela aprenda a usar sua criatividade e estimule a capacidade de construir.

 

Um simples graveto pode se transformar em uma varinha mágica, ou em um foguete, ou quem sabe em um bichinho que anda pelo mato. Vale tudo o que a imaginação da criança permitir. Saber criar suas próprias brincadeiras sem brinquedos é importante para o desenvolvimento infantil.
 

O exercício de transformar objetos e situações em brincadeiras é muito importante na vida de uma criança. A frase “dar asas à imaginação” sempre foi muito coerente e hoje, com tantos brinquedos à disposição dos pequenos, é preciso ser estimulada e praticada de todas as maneiras.
 

Tatiana Weberman, responsável pelo SlowKids – movimento que propõe a desaceleração para a infância – diz que é preciso não deixar disponível às crianças tantos brinquedos com funções especificas e nem planejar tantas atividades para elas. “Deixar menos opções, muitas vezes, é abrir uma porta para a criatividade e uma vastidão de possibilidades”, afirma.
 

Ao contrário de muitos adultos, as crianças não precisam de instruções para brincar com objetos do cotidiano. 
 

Mesmo os brinquedos mais comuns, como um carrinho ou barquinho, quando são feitos pela própria criança contam uma história e geram um vínculo diferente com ela. As crianças precisam da ausência de brinquedos prontos para que possam acessar os próprios desejos, vontades e interesses. “Elas conseguem concretizar na prática seus sonhos com sua imaginação”.

 

 

 

Please reload